quarta-feira, 17 de junho de 2009

Não ao casamento e a adoção de casais homoafetivos - parte I



No último dia quinze, segunda-feira, participei do meu primeiro tribunal de júri como acadêmica de Direito. O meu grupo era a promotoria, tínhamos a difícil tarefa de apresentar argumentos contra a liberação do casamento e da adoção homoafetiva (homossexual).
Para minha alegria, já que, minha opinião pessoal, independente de crença, é exatamente essa. O casamento e a adoção homossexual, em hipótese alguma, devem ser legalizados. E sabem por quê:

A nossa principal tese foi sobre o interesse e o direito da criança que deve prevalecer sobre tudo. Permitir que uma criança seja adotada por um casal homossexual é o mesmo que condena-la a uma vida de exclusão, preconceito e traumas. De acordo com o Jornal “O Globo”, de 07/02/2009, pesquisas afirmam que 99 % dos brasileiros têm preconceitos contra homossexuais, sendo que, 16 % admitem considerar os homossexuais como “doentes”, “safados” ou “sem caráter”.
Pensem comigo, como ficará a cabeça de uma criança que será marginalizada por 99% da sociedade brasileira, obviamente isso, no futuro, lhe ocasionará graves danos. [Nada a vê Gabí, quem falou?! Isso é preconceito]. Será? Então, acompanhe os fatos:
No ano de 2005, a plataforma HazteOir.org (que era contra a legalização do casamento e da adoção do casal homoafetivos na Espanha) com a colaboração do Foro Espanhol da Família (FEF) e o Instituto de Política Familiar (IPF), recolheu centenas de estudos científicos relativos à adoção por casais homossexuais que concluem que, “crianças criados por homossexuais têm um desenvolvimento muito diferente dos que crescem em famílias naturais e, em muitos aspectos, prejudicial para eles”.
Segundo o documento, tanto nos relatórios favoráveis como nos desfavoráveis à adoção, encontram-se indícios de problemas psicológicos nos menores, como auto-estima baixa, stress ou transtornos de identidade sexual. Do mesmo modo, informa que são inúmeros os problemas nas relações interpessoais das crianças: insegurança a respeito da sua vida futura em casal e a ter filhos, troca do companheiro ou companheira do progenitor homossexual como figura materna/paterna ou preferência por viver com o outro progenitor.
Outros pontos que o estudo aborda é a instabilidade, infidelidade e transtornos psicológicos do casal homossexual. (Quantos relacionamentos homossexuais você já viu durar mais de 10 anos? Sinceramente, eu nunca ouvi falar). Segundo dados oficiais, em países como a Suécia, o índice de ruptura em casais homossexuais é de 37% superior aos casais heterossexuais e 200% maior nas formadas por lésbicas.
O relatório mostra, também, os prejuízos que as crianças sofrem com a ausência de um pai ou uma mãe, e que, os menores procuram suprir essa ausência em conhecidos do sexo oposto ao do casal homossexual. [Ah Gabí! Mas isso não quer dizer que isso acontecerá com todas as crianças que são adotadas por homossexuais]
Ok, quando escrevi minha tese, pesquisei algumas jurisprudências aqui do Brasil, [que isso, Gabí?]. Várias decisões isoladas de juizes em casos que não têm uma lei específica. Geralmente, a mídia adora enfatizar aqueles casos, em que, a criança que é criada por um casual homossexual vive em um lar feliz, de amor, carinho e boas condições financeiras. Parecendo, assim, uma verdadeira maravilha.
Porém, no semestre passado lembro de ter estudado que um dos requisitos da lei é a generalidade, ou seja, no momento que uma lei começa a vigorar ela é para todos, não, apenas, para casos isolados. E quando falamos em geral, nos deparamos com os dados que citei acima. Por isso, afirmo, sem nenhum resguardo: “A maioria das crianças que são criados por casais homossexuais sofrem, são psicologicamente e moralmente prejudicadas por isso”.
Existe um artigo da nossa constituição federal que diz: “É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.” Art 227
Portanto, permitir que casais homossexuais adotem crianças, além de um ato irresponsável, é inconstitucional, pois, é nosso dever proteger a criança de qualquer possibilidade, sequer, de dano que possa lhe ocorrer.

No próximo post estarei falando mais sobre minha tese.

43 comentários:

  1. Ah, que post mais gay!
    Haha zuera, na verdade eu sou a favor da adoção e do casamento homoafetivo, pois "abra sua mente, gay também é gente" e se não for permitido eles nunca poderão constituir família, a lei deve ser igual para todos.
    Gays e Lésbicas também tem seu espaço na sociedade, e discutir sobre esse assunto é um grande preconceito, tanto sendo a favor como contra, pois discutir isso significa diferenciar os homosexuais das demais pessoas.
    E otra, o filho pode ser muito mal tratado por casais heterosexuais instaveis, pai que bebe, mae que fuma, isso pode causar um trauma muito maior que ser filho adotivo de um casal homossexual, só basta a criança ser educada corretamente e aprender que nao é inferior a ninguem e nao deixar ninguem caçoar dela ou faze-la se sentir abaixo dos outros, que se acham superiores porque são "normais", alias, a normalidade esta longe de ser alcançada, talvez ela nem exista, as pessoas que pensam ser normais são as mais anormais pois, não tem a mente aberta e se fecham em pensamentos e paradigmas impostos pela sociedade, daqui a 10000 anos o que é anormal hoje, pode ser o padrão, o normal. Então, cada caso é um caso e se for provado que a criança tem condições de ter uma vida boa, eu sou totalmente a favor.
    Muitos casais heterossexuais acham que a familia necessita de pai e mãe, nada a ver, o ser humano é totalmente adaptavel e se adapta a essa situação, se a criança for bem instruida ela provavelmente será um adulto bem sucedido, basta o casal homo saber lidar com a criança. Já quando o casal hetero não sabe cuidar de uma criança, é pior ainda, pois eles abandonam, maltratam, judiam, e poe pra trabalhar.
    A verdade é que a criança adotada está sujeita a sofrer muitos traumas, dependendo da maneira em que for criada e o ambiente, e quando uma criança sofre traumas tanto sendo ela adotada por casal hetero ou homo, a culpa não é da orientaçao sexual do casal, mas sim da maneira e do ambiente em que foi criada. Botar a culpa de uma criança traumatizada na homossexualidade dos pais adotivos é um tremendo preconceito.
    Quanto ao casamento, se quer casar casa ué, qual o problema?

    Abraços gabi

    ResponderExcluir
  2. Bem, primeiro que, de maneira nenhuma, eu falei que gay não é gente. Na verdade o homossexualismo, para mim, é uma opção de vida, nada mais que isso. A pessoa escolhe ser homossexual, assim como escolhe fazer um monte de outras coisas. Agora imagina se todas as opções de vida exigissem direitos específicos, como seria?
    Como vc mesmo disse Reynaldo, a lei deve ser igual para todos, e ela é, ela não exclui homossexuais, eles podem usufruir dela como todas as pessoas. Podem até casar, só que com uma pessoa do sexo oposto, é claro, se eles não querem usufruir deste direito, não significa que eles podem exigir outro. Já que, este outro põem em risco a segurança da criança.
    Sim, como tu defendeu no teu argumento, nem todos os casais heterossexuais são bons pais e, também, podem causar traumas para as crianças. Mas como falei no post, e ressalto, quando falamos de Leis, devemos olhar no geral e não em casos isolados.
    E olhando no geral veremos que, a maioria dos relacionamentos homossexuais são instáveis, poucos tem um relacionamento duradouro, os homossexuais em geral são pessoas com transtornos psicológicos e o índice de suicídio entre eles é muito maior do que entre pessoas que se dizem heterossexuais.
    O que quero dizer, e gostaria que todos entendessem, é que se a adoção por casais homossexuais for liberada, não serão apenas casais homossexuais “normais” que terão esse direito, mas sim, todos eles, inclusive aqueles que têm graves problemas psicológicos que, de acordo com ESTUDOS, são a maioria deles. Sem falar no preconceito que a criança vai sofrer pela sociedade.
    Portanto, permitir a adoção é o mesmo que por em risco a segurança das crianças em geral. Tanto que, nos paises que é permitido a adoção, o índice de crianças que são criadas por casais homossexuais e que sofrem com seqüelas psicológicas é muito grande.
    Isso é fato, não sou eu que estou dizendo.

    No próximo post falarei de outros argumentos que vão contra a adoção e o casamento homossexual.

    Obrigada Reynaldo pelo seu comentário.
    ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, para começar quero dizer que não concordo com o que disseste, não acho que o homossexualismo seja uma opção de vida, é uma coisa que «acontece». Não é uma opção de vida porque não é uma opção, ninguém escolhe «eu vou apaixonar-me por aquela pessoa» seja ela do mesmo sexo ou não, por isso não é uma opçao. As leis estão feitas de uma maneira, verdade, mas as leis evoluem, tal como a mente Humana evolui, as pessoas adaptam-se a sociedade em que vivem, e é verdade que a lei do casamento homossexual não estava aprovada (agora já esta em alguns países).
      A adoção já é um assunto mais complicado pois envolve crianças, porém achas que as crianças estão melhor num lar ou numa família que os trata mal, onde não têm amor, ou numa família que os vai amar? É verdade que alguns país homossexuais podem nem ser bons pais, tal como alguns heterossexuais também não o são. Os homossexuais são pesssoas normais! Tal como tu, tal como eu! Alguns podem ter problemas psicológicos, mas isso também há muitos heterossexuais que os têm, (não acho que esses «problemas» estejam relacionados com o facto de serem homossexuais ou não).
      E os relacionamentos homossexuais podem ser estáveis, as pessoas têm de encontrar o parceiro certo, tal como nas outras relações! E em relação as crianças serem gozadas por terem pais homossexuais, se essas crianças estivessem num lar, iam ser gozadas por estarem num lar, tem o cabelo com volume chama-lhes leões, têm os dentes um poucograndes, são coelhos, têm peso a mais são baleias, têm peso a menos, são palitos, a sociedade hoje em dia goza com tudo, não importa como sejas vão sempre arranjar alguma coisa para gozar contigo, por isso,se não gozarem com eles por causa disso vão gozar por uma outra coisa, mais vale «gozarem» por isso e as crinaças serem felizes em casa, terem uma FAMILIA e amigos que realmente gostam deles, do que estarem num lar, sem amor e não serem gozados.
      Para finalizar, num lar as crianças podem ter comida, roupa, um sítio que chamam de casa, mas nunca vão ter o verdadeiro amor e o verdadeiro significado de FAMÍLIA que todas elas merecem!

      Pronto, eu não queria comentar mas não aguentei... Beijinhos

      Excluir
  3. Ta bom Gabi, me convenceu!
    Quanto a aprovação de uma lei para isso, agora mudei de opinião, realmente não são todos casais homossexuais que tem a estabilidade e as condições necessárias para se casar e ter um relacionamento duradouro, não tendo assim as condições para adotar uma criança.
    Mas tomara que os casais homossexuais estáveis e de bem, quando comprovado seu comprometimento, consigam atravez da jurisprudencia se casar e adotar crianças.

    Que nada Gabi, eu que agradeço pelos posts sempre muito atualizados e polêmicos, se continuar assim encheremos páginas e páginas de discussões saudáveis.

    Abraços, e boas férias. Nessas férias acho que sentirei saudades de te sacanear dando um pedação de barrinha de proteinas pra vc experimentar ou te dando 7 belo quando vc ta com o dente dolorido e nao pode comer bala hahuaehheahuaehaahueheahuaehueahu.

    ResponderExcluir
  4. Estou terminando a graduação este ano e em minha monografia falo sobre adoção homoafetiva.Penso da mesma forma que vc.O que está em foco é o melhor interesse da criança.Sinceramente não acredito que uma relação homoafetiva possa satisfazer o melhor interesse do adotado.
    Att: Rodrigo dos Santos Couto

    ResponderExcluir
  5. Estou passando por uma situação parecida com a que você vivenciou, também tenho um tribunal do júri e assim como você, tenho que ser contra a adoção de menores por casais homoafetivos.
    Tenho que confessar que antes de estudar o assunto eu era a favor da adoção, mas hoje vejo que estava completamente errado. Desde já quero lhe parabenizar pelo brilhante artigo.
    Att: Rodrigo Tomaz

    ResponderExcluir
  6. Gabi, nao se esqueca de que para ser uma boa advogada é preciso separar sua religiao e suas opinioes pessoais das decisoes juridicas que podem mudar a vida de uma pessoa.

    Pelo seu post, me parece que vc nao tem muito contato com casais de homossexuais. Pois eu tenho e posso afirmar que a relacao e a fidelidade entre eles é tao bonita e sincera quanto a dos casais heterossexuais. Alguns estao juntos a 8, 14, 20 anos...

    Quanto à adocao e outros assuntos, de uma olhada no site da advogada Maria Berenice Dias, uma sumidade quando o assunto é protecao dos direitos da familia: http://www.mariaberenicedias.com.br/site/frames.php?idioma=pt. Aqui, vc poderá ler um pouquinho sobre "o outro lado da moeda".

    Nesse site você também poderá encontrar outros argumentos jurídicos: http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=11441&p=2.

    Apenas para te informar, uma pessoa homossexual nao escolhe ser homossexual, ela simplesmente o é. É como alguém que gosta de maca e o outro gosta de manga. Somos todos muito diferentes e muito iguais ao mesmo tempo. Precisamos saber respeitar as diferencas e voce como mulher do Direito nesse país deveria assegurar isso mais do que ninguém.

    Sou muito feliz com meu marido e meus filhos, mas vejo em meus amigos gays a mesma felicidade e vontade de estruturar uma bela familia. Por isso, sempre defendo o reconhecimento dessas famílias alternativas.

    Abraco,

    Maria Fernanda de Lucca

    ResponderExcluir
  7. Para complementar o comentário da colega Maria Fernanda, gostaria de apontar mais alguns sites com uma visao juridica sobre o assunto:

    http://www.uj.com.br/publicacoes/doutrinas/2375/CASAMENTO_HOMOAFETIVO

    http://www.jurua.com.br/shop_item.asp?id=20318

    http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=11441&p=2

    Lembre-se: o Estado é laico!

    Carlos Lazaro

    ResponderExcluir
  8. E esse é o link da pesquisa, com os reais significados dos 99%:

    http://www2.fpa.org.br/portal/modules/news/index.php?storytopic=1770

    Longe de ser uma maravilha para os homossexuais, mas bem diferente da sua entonacao parcial no Post.

    Carlos Lazaro

    ResponderExcluir
  9. Olá respondi no post http://dizaigabi.blogspot.com/2009/11/responde-ai-gabi.html
    Obrigado por comentar o Blog!

    ResponderExcluir
  10. Apesar dos contra posto aqui. Você como estudante de direito e futura jurista, deve perceber que há mudança na sociedade; e nós futuros juristas não podemos deixar o preconceito cegar nossa visão.

    Contra ou a favor, a mudança existe. E ai, o que faremos, proibir quem quer adotar, ou talvez, negando o direito dos que querem ser adotados.

    Infelizmente, assim como os negros, judeus e mulheres, os homossexuais estão à procura dum direito que ainda é renegado.

    Pense nisso.

    ResponderExcluir
  11. Olá, li seu post e respeito sua colocação. Até concordo em alguns aspectos, porém sua visão de homossexualidade é totalmente equivocada! Dizer que ser homossexual é uma escolha como outra qualquer é um absurdo. Quem escolheria sofrer conflito pessoal e preconceito por ser homossexual? Voçê por acaso escolheu ser heterossexual? Escolheu sentir atração por parceiros do sexo oposto? A homossexualidade NÂO é uma opção, é uma condição. Pórem a pessoa pode escolher se quer praticá-la ou não.
    Não estou criticando, só acho necessário que qualquer pessoa que for falar sobre esse assunto complexo reflita sobre essas questões. No mais, tudo isso me parece mero preconceito, vindo em sua pior forma... disfarçado !

    ResponderExcluir
  12. OLÁ GABRIELA, ME CHAMO MAYRA, ESTOU NO 9º PERÍODO DO CURSO DE DIREITO, E ESTOU QUERENDO FAZER MINHA MONOGRAFIA A RESPEITO DESTE TEMA, E ASSIM COMO VC, SOU TOTALMENTE CONTRA A ADOÇÃO POR CASAIS HOMOSSEXUAIS, E GOSTARIA DE SUA AJUDA COM RELAÇÃO A LIVROS, E OUTROS MATERIAIS, POIS COMO O TEMA É NOVO, TEMOS POUCOS AUTORES ESCREVENDO CONTRÁRIO! DESDE JÁ , TE PARABENIZO PELO ARTIGO E POR NÃO SE DEIXAR INFLUENCIAR PELAS OPINIÕS CONTRÁRIAS, PRECISAMOS MUITAS VEZES ANDAR NA CONTRA-MÃO DESTE MUNDO!! AGUARDO RESPOSTA MEU E-MAIL: MAYRAMYRELLEG12@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  13. Gabi..estou na mesma situação que voce.., participarei do meu primeiro tribunal de júri como acadêmica de Direito. O meu grupo é a promotoria... gostaria de sua ajuda com relação a livros,e outros materiais que voces pesquisaram...pois a situação é complicada e existem muitos argumentos a favor da adoção..POR FAVOR ME AJUDA..ME MANDA UM EMAIL COM O MATERIAL SE VC PUDER..Obrigadaaaaaaaaaaaaaa
    Fernanda
    ferssilva2010@hotmail.com

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  15. Existe o fato real que deixado de lado nessas discussões. As famílias homoafetivas já existem, e aí? Crianças já estão sob os cuidados de mães e mães, e pais e pais, e aí? O que a legislação vai fazer para proteger essas famílias que já existem? ou não vai proteger, vai simplesmente continuar fingindo que não existem? E o interesse da criança que já está sob os cuidados dessas famílias?
    Sou estudante de Direito, sou mulher, sou lésbica, sou integrante de uma família desprotegida, sou infelizmente um alvo fácil das injustiças...

    ResponderExcluir
  16. dizer que se uma criança for adotada por casal homossexual é colocá-los a frente de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, foi a coisa mais imbecil que eu ja li na minha vida.

    Toda criança tem direito de ser feliz. Pense: Ela é mais feliz em um abrigo, sem carinho afeto atenção ou em uma casa recebendo essas coisas?
    Se eu fosse orfã, com certeza referiria morar com dois homens ou duas mulheres a morar sozinha.

    E outra, jamais se tornaria incostitucional. JAMAIS. Leia bem a nossa constituição, assim como o ECA e constate.
    Não há NADA que proiba, mas nao há nada que consolide. Espero que haja um dia.

    ResponderExcluir
  17. NOSSA É MT TRISTE LER ALGUNS COMENTÁRIOS A RESPEITO DESSE TEMA, A NOSSA REALIDADE É BEM DIFERENTE, É UMA PENA Q AINDA EXISTAM PESSOAS COM TANTO PRECONCEITO E ESQUECEM DE PENSAR EM QUEM REALMENTE ESTÁ SOFRENDO.A SOCIEDADE VEM MUDANDO RAPIDAMENTE E PRECISAMOS RECONHECER QUE NÃO ESTAMOS NA DÉCADA DE 40.

    ResponderExcluir
  18. Olá, Gabi,
    Prazer em conhecê-la aqui pelo seu blog.
    Sou aluno do 6° período do Curso de Direito da Faculdade de Maurício de Nassau e estou pesquisando sobre "Argumentos Contrários à Adoção por Casais Homossexuais". Daí achei o seu artigo e fiquei positivamente impressionado com a firmeza dos seus argumentos, com os quais concordo.
    Entretanto, percebi que o texto aqui postado se refere apenas a uma parte de um artigo, salvo engano. Gostaria de saber se é possível ter acesso ao texto completo, para enriquecimento da minha pesaquisa, com o compromisso, claro, de citar a fonte.
    E caso haja interesse, posso enviar a minuta do meu trabalho acadêmico para você dar uma olhada.
    Obrigado desde já.
    JOÁS DINARTE DA SILVA
    Recife/PE
    joasdinarte@hotmail.com
    (81)9934-9730

    ResponderExcluir
  19. Ola Gabi estou fazendo minha monografia e penso como voce, porem estou precisando de materiais ficaria muito grata se vc puder me passar alguma coisa. Um abraço, e espero sua resposta. Meu email é: francislainemendonca@gmail.com

    ResponderExcluir
  20. OLA GABI, EU TAMBÉM ESTOU FAZENDO A MINHA MONOGRAFIA SOBRE A ADOÇÃO POR CASAIS HOMOAFETIVOS, ESTAVA PROCURANDO ALGUNS ASPECTOS CONTRÁRIOS E ENCONTREI O SEU BLOG. RESPEITO A SUA OPNIÃO,APESAR DE CONSIDERAR EQUIVOCADA EM ALGUNS ASPECTOS,PORÉM SOU A FAVOR.
    PARTINDO DO PRINCIPIO QUE EXISTEM MILHARES DE CRIANÇAS EM NOSSO PAÍS QUE VIVEM EM ABRIGOS E ORFANATOS SEM QUALQUER PERSPECTIVA DE FUTURO, CRIANÇAS E ADOLESCENTE QUE FORAM ABANDONADOS A PRÓPRIA SORTE E QUE DIFERENTE DE NÓS NÃO PODEM CONTAR COM NINGUÉM. A ADOÇÃO, TANTO A QUE É FEITA POR CASAIS HETEROSSEXUAIS OU HOMOSSEXUAIS PASSAM PELOS MESMOS PROCEDIMENTOS, ENTRE ELE O PSICOSSOCIAL QUE ESTUDA A POSSIBILIDADE(INCLUSIVE PSCICOLOGICA) DE ADOÇÃO POR ESSAS PESSOAS CADASTRADAS, OU SEJA, NÃO BASTA TER VONTADE, TEM QUE PRENCHER OS REQUISITOS. NÃO É UMA FEIRA, " QUEM QUISER PODE LEVAR". É FEITO UM ACOMPANHAMENTO SOBRE A VIDA DESSAS PESSOAS E A CONDIÇÃO QUE ELAS POSSUEM PARA ASSUMIR TAL RESPONSABILIDADE.
    A VERDADE É QUE ESSE PRECONCEITO E ESSE CONSERVADORISMOS IMPOSTO ATRAVES DOS PRINCIPIOS MORAIS, CULTURAIS E RELIGIOSOS DE NOSSA SOCIEDADE, SÓ VEM A ATRAPALHAR A VIDA DESSAS CRINÇAS, QUE AGUARDAM ANSIOSAMENTE PELA MOMENTO DA ADOÇÃO, PELO MOMENTO DE TER UM LAR, TER UMA ATENÇÃO VOLTADA PRA ELAS, PODER ESTUDAR, FAZER CURSOS, ENFIM "CRESCER".
    QUANTO A INFLUENCIA QUE ISSO PODE CAUSAR, PELO QUE PESQUISEI NÃO TEM NADA QUE AFIRME OFICIALMENTE QUE PODERÁ CAUSAR ALGUM PERJUIZO, NÃO MAIS QUE O DO ABANDONO. ACREDITO QUE A DIGNDADE, A MORALIDADE E INTEGRALIDADE VENHA EM PARTICULAR DE CADA UM E NADA TEM HAVER COM A OPÇÃO SEXUAL DAS PESSOAS. ENTÃO VEJO QUE UM HOMOSSEXUAL PODERÁ CRIAR SEU FILHO TÃO BEM OU ATÉ MELHOR QUE UM HETEROSSEXUAL.
    E QUE A SOCIEDADE TEM EVOLUIDO... ENTÃO TEMOS QUE ACOMPANHAR OS FATOS.
    ATT.

    ResponderExcluir
  21. esse artigo é ridiculo. como pode um estudante de direito dizer um absurdo desses!
    Desta forma, nao terá futuro algum na area, ja que sabemos que o Direito é o que mais muda no mundo desde que surgiu!
    Fico sinceramente muito entristecido com o artigo em comento! E espero que você e os outros que estao ao seu lado, mudem esta visão preconceituosa a cerca deste assunto!

    ResponderExcluir
  22. qual constragimento maior, não ter pais e ser criado em orfanatos onde as pessoas são até trainadas para não se apegar às criança ou ter pais homossexuais?
    te orienta garota!!

    ResponderExcluir
  23. Boa Noite Gaby,

    minha monografia envolve o tema do seu artigo.
    Gostaria de posições contrarias à adoção por casais homossexuais. Você teria livros ou artigos para recomendar???

    Agradeço a atenção

    Meu email é ta_ttynha@hotmail.com

    Tathiana

    ResponderExcluir
  24. Aff. Que absurdo. Quanta mente vazia e preconceituosa. Diariamente nascem centenas de crianças de casais héteros que vivem em desajuste, mas isso ninguém faz nada pra mudar. Agora um casal homoafetivo, que, diga-se de passagem Gaby, não fazem opção por serem homo, assim como os héteros não o fazem, afinal não existe uma loja ou curso onde você escolhe comprar a sexualidade ou se formar ou fazer um curso profissionalizante, técnico em homosexualidade. Eles simplesmente o são, assim como os héteros, e, como tal devem ser respeitados com todos os seu direitos de cidadão, pagadores de impostos e, mais do que isso, como seres humanos. Pessoas estas que tem todo amor pra dar a essas crianças que estão em abrigos ansiando por alguém que os tire dali e os dê dignidade e oportunidade.

    ResponderExcluir
  25. reinaldo vc e homossexual?

    ResponderExcluir
  26. eu penso no psicologico da criança como conviver numa sociedade q de certo ponto ainda preconseituosa e dps quando criança pra ver os colegas com um pai e uma mãe e qunado olha pra sua ksa ve 2 pais ou 2 mães esse e o fator psicologico q eu coloco!!!
    vlw!!
    gostei da postagem!!!!!!! :D

    ResponderExcluir
  27. esse reynaldo gosta bem do assunto mas nao so contra to di boa so to pesquisando pq eu tenhu um trabalho em grupo pra fazer
    aew Reynaldo e zuera XD

    ResponderExcluir
  28. Olá, achei muito bom o seu artigo Gabi.
    Estou participando de um Júri Simulado, onde meu grupo é contra a adoção homoafetiva. Gostei da firmeza em seus argumentos.

    Como muita gente ja pediu, se eu pudesse ter acesso ao resto do seu arquivo, eu gostaria e claro vou citar a fonte de seu blog como fundamento a minha pesquisa, ficarei grato.

    meu email: marcojonathan89@hotmail.com

    ResponderExcluir
  29. Oiie gostei do seu post concordo vc tbm!!
    Estava fazendo uma redação sobre o assunto e me interessei pelo texto... Muito bom mesmoo!

    ResponderExcluir
  30. também concordo com você, neste caso geralmente são os pais que escolhem as crianças e não as crianças que escolhem os pais. O preconceito será inevitável e provavelmente a repressão e problemas psicológicos acarretarão na identidade da criança.

    ResponderExcluir
  31. Artigo perfeito, concordo com cada palavra e já achava isso antes mesmo de ler, as pessoas tem o direito a optar a preferencia sexual e n querem arcar com as consequencias, isso sim é q é triste... DIGA N A ADOÇÃO HOMO AFETIVA.

    ResponderExcluir
  32. Olá Gaby, tudo bem?
    Estou no último ano de faculdade, o tema da minha monografia será sobre adoção homoafetiva, a corrente que irei me filiar será a não aceitação de tal modalidade de adoção, no entanto, só encontro autores, sites a favor, ou seja, estou tendo dificuldades de elaborar a minha monografia, lendo seu blog vislumbrei a oportunidade de pedir a sua ajuda, sendo assim, será que você poderia indicar jurisprudências, livros, bem como sites para pesquisa e estudo.
    Desde agradeço pela colaboração.
    Jaqueline
    meu e-mail é: jaquelinezancani_hta@hotmail.com

    ResponderExcluir
  33. QUE POVINHO RIDICULO MEU DEUS!!! NINGUÉM EVOLUI NÃO??? HAHAHAHAHA.. PRA VCS SEUS PRECONCEITUOSOS.. NEM PARECE QUE VC SERÁ UMA ADVOGADA!!! TADINHA.. PÉSSIMA POR SINAL NÉ..

    ResponderExcluir
  34. "O que quero dizer, e gostaria que todos entendessem, é que se a adoção por casais homossexuais for liberada, não serão apenas casais homossexuais “normais” que terão esse direito, mas sim, todos eles, inclusive aqueles que têm graves problemas psicológicos que, de acordo com ESTUDOS, são a maioria deles. Sem falar no preconceito que a criança vai sofrer pela sociedade."

    Por favor né Gabi esse argumento não cola, porque em todos os casos de adoção legal existe acompanhamento, nenhuma criança será largada na mãe de ninguém e abandonada a própria sorte, o simples fato de ser homossexual não implica na impossibilidade de fornecer um
    ambiente familiar adequado [que é o que importa na adoção]. Deve ser avaliado caso a caso. Como existem homossexuais que
    têm vida desregrada, também existem heterossexuais que a têm da mesma forma. Não se pode
    generalizar.

    ResponderExcluir
  35. "Outros pontos que o estudo aborda é a instabilidade, infidelidade e transtornos psicológicos do casal homossexual."
    Por que casais heteros são todos fieis, né?
    E mesmo que a união homoafetiva um dia termine, qual o problema? Ninguém morre só porque tem pais separados não.
    Descordo de tudo que foi dito ai.

    ResponderExcluir
  36. Oi Também sou contra a adoção por homoafetivos e tbm tenho que fazer uma tese com o assunto, se vc puder me ajudar gostaria de ler sua matéria toda sobre o assunto.
    juliana1282@gmail.com
    Obrigado, e continue defendendo tenho certeza que vai ajudar muita gente,
    Abraço.

    ResponderExcluir
  37. esperava mais de uma estudante de direito =))

    ResponderExcluir
  38. CONTRA ARGUMENTO:
    1° O Brasil é um país laico, por tanto nenhuma religião deve interferir na politica e juridição /vc como advogado deveria saber disso.
    2°''permitir que uma criança seja adotada por um casal homossexual é o mesmo que condena-la a uma vida de exclusão, preconceito e traumas.'' assim como uma criança gordinha ou magra demais, assim como uma criança alta demais, assim como uma criança com algum defeito fisico e psicologico, assim como uma criança que sofre bullying.
    3°''“crianças criados por homossexuais têm um desenvolvimento muito diferente dos que crescem em famílias naturais e, em muitos aspectos, prejudicial para eles”.'' não, essas crianças serão mais maduras do que as outras, verão o mundo com uma mente mais aberta e sem preconceitos, terá capacidade de aceitar as pessoas como elas são. simples.
    4°. (Quantos relacionamentos homossexuais você já viu durar mais de 10 anos? Sinceramente, eu nunca ouvi falar). '' só por que vc nunca viu não significa que não existe. conheço vários casais que vivem 10 , 15 anos.. e outra coisa tb, tantos casais hetesexuais que agem da mesma forma !
    5°''O relatório mostra, também, os prejuízos que as crianças sofrem com a ausência de um pai ou uma mãe, e que, os menores procuram suprir essa ausência em conhecidos do sexo oposto ao do casal homossexual. [ '' ESSE ARGUMENTO É TOTALMENTE INVALIDO ! E AS MÃES SOLTEIRAS? E OS PAIS SOLTEIROS? E AS CRIANÇAS QUE SÃO ORFÃS DE PAI OU MÃE?
    6°Há também argumentos de que se um criança for criada por um casal homosexual será homosexual. isso tb é invalido , por que por essa lógica então por que nem todo casal hetero tem filho hetero?
    7° .'' A pessoa escolhe ser homossexual, assim como escolhe fazer um monte de outras coisas.'' É, COM CERTEZA ¬¬ ' POR QUE AS PESSOAS ESCOLHEM ISSO POR QUE ADORAM APANHAR NA RUA, SEREM DISCRIMINADAS NÉ?! VC ESCOLHE AMAR ALGUÉM OU VC SIMPLESMENTE SENTE? NGM ESCOLHE SER HOMO ASSIM COMO NGM ESCOLHE SER HETERO

    8°anti constitucional? isso é um absurdo ! é preciso que as pessoas comecem a ter pensamento crítico e lógico! por isso q o país nao vai pra frente

    ResponderExcluir
  39. Do mesmo jeito que existe instabilidade em famílias homossexuais existem em famílias heterossexuais é por isso que existe uma equipe de pessoas que acompanham o procedimento adotivo, e essas crianças só sofrem preconceitos porque existem pessoas como você, pois o preconceito nunca vai acabar se os homossexuais não puderem realizar os que os heterossexuais também realizam e vamos e convenhamos se ser adotado por um homossexual fizesse a criança ter problemas e até mesmo levá-lo a ter problemas de identidade sexual, nos lares heterossexuais não nasceriam filhos homossexuais. É MUITO PRECONCEITO MESMO, as crianças tem o direito a te uma familia e é por pessoas como vocês que fazem com que essas mesmas crianças sofram preconceitos. nunca vi tanto absurdo.

    ResponderExcluir
  40. Oi Gabi eu to precisando de material que se posicione contra a adoçao, por favor me ajuda!!!!!! Bj email: rhrsmila@hotmail.com

    ResponderExcluir
  41. Em meu pequeno conhecimento e grande sinceridade, penso o seguinte: se querem consagrar o casamento homossexual, devem também consagrar o casamento incestuoso, o bígamo e o polígamo, para que haja na sociedade "um só peso e uma só medida". Se ninguém deve dar pitaco numa relação entre pessoas maiores de idade e lúcidas, ninguém deve dar pitaco numa relação incestuosa ou bígama. Acho louvável a luta do grupo GLBT (gays, lésbicas, bissexuais e transexuais) por respeito e cidadania plena, mas não louvo os incestuosos e os bígamos viverem às escondidas sem haver quem os defenda. É como diz o slogan no movimento em defesa da cidadania homossexual que está bombando atualmente na França: "Casamento para TODOS e adoção".

    ResponderExcluir